Câncer de Mama e Outubro Rosa

Câncer de Mama e Outubro Rosa

O câncer de mama é a neoplasia maligna mais comum nas mulheres e a segunda maior causa de morte por câncer nesse grupo (atrás apenas do câncer de pulmão). Se diagnosticado e tratado oportunamente, o prognóstico é relativamente bom.

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), a incidência do câncer de mama no país é superior a 50 mil casos anuais, com um risco estimado próximo de 50 casos para cada 100 mil mulheres.

No Brasil, as taxas de mortalidade por câncer de mama continuam elevadas, muito provavelmente porque a doença ainda é diagnosticada em estágios avançados. Na população mundial, a sobrevida média após cinco anos é de 61%.

Os principais fatores de risco para o câncer de mama estão ligados a idade, aspectos endócrinos e genéticos. Após os 50 anos de idade aumenta-se o risco de câncer de mama.

Os aspectos endócrinos estão relacionados principalmente ao estímulo estrogênico, seja endógeno ou exógeno, com aumento do risco quanto maior for o tempo de exposição. Possuem risco aumentado as mulheres com história de menarca precoce (idade da primeira menstruação menor que 12 anos), menopausa tardia (após os 50 anos), primeira gravidez após os 30 anos, nunca ter engravidado e terapia de reposição hormonal pós-menopausa, principalmente se prolongada por mais de cinco anos.

Outros fatores incluem a exposição a radiações ionizantes em idade inferior a 40 anos, a ingestão regular de bebida alcoólica, mesmo que em quantidade moderada (30g/dia), obesidade, principalmente quando o aumento de peso se dá após a menopausa, e sedentarismo. A prática de atividade física e o aleitamento materno exclusivo são considerados fatores protetores.

A história familiar – principalmente em parentes de primeiro grau antes dos 50 anos – é um importante fator de risco para o câncer de mama e pode indicar predisposição genética associada à presença de mutações em determinados genes. Entretanto, o câncer de mama de caráter hereditário (predisposição genética) corresponde a cerca de 5-10% do total de casos.

Entre as medidas de detecção precoce é importante que as mulheres estejam atentas para o seu próprio corpo para saber o que é normal nas mamas. Ao identificarem alterações suspeitas (nódulo, edema cutâneo semelhante à “casca de laranja”, descamação ou ulceração do mamilo, dor, inversão do mamilo, secreção espontânea pelo mamilo, ínguas nas axilas) devem procurar um profissional de saúde.

Além disso, para mulheres entre 40 e 70 anos recomenda-se a realização de mamografia (radiografia das mamas) de rastreamento anualmente.
O movimento conhecido como Outubro Rosa nasceu nos Estados Unidos, na década de 1990, para estimular a participação da população no controle do câncer de mama. A data é celebrada anualmente com o objetivo de promover a conscientização sobre a doença e compartilhar informações sobre o câncer de mama.

Últimas notícias

25/08/2021

Ipaci capacita membros dos Conselhos Deliberativo e Fiscal

O IPACI realizou no período de 23 a 24 de Agosto, um curso de capacitação para os membros dos Conselhos ...
30/07/2021

Recadastramento volta a ser realizado no IPACI

Após a Secretaria de Estado da Saúde, por meio do boletim epidemiológico, classificar Cachoeiro de Itapemirim com ‘...
12/05/2021

Prorrogado por mais 90 dias o prazo de início do recadastramento anual

Por meio da Portaria N°069/2021, o Presidente Executivo do IPACI, Eder Botelho da Fonseca, decidiu prorrogar o prazo para o ...
26/02/2021

Prorrogado por mais 60 dias o prazo de recadastramento anual

Por meio da Portaria N°044/2021, o Presidente Executivo do IPACI, Eder Botelho da Fonseca, decidiu prorrogar o prazo de suspensã...